sexta-feira, 4 de março de 2016

Dilma RousseffF precisa evitar que acendam no Brasil o pavio da dinamite, por Iremar Marinho


SE LULA FICAR MESMO PRESO, OS PARTIDOS DE ESQUERDA E DEMAIS, AS ENTIDADES E INSTITUIÇÕES DA REPÚBLICA E O POVO MILITANTE DA DEMOCRACIA DEVEM EXIGIR DA PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF UM PRONUNCIAMENTO OFICIAL EM TV E RÁDIO, CONDENANDO A AÇÃO INCONSTITUCIONAL E OS EQUÍVOCOS DA PRÓPRIA POLÍCIA FEDERAL, DO MINISTÉRIO PÚBLICO E DA JUSTIÇA, NA CONDUÇÃO DE UMA INVESTIGAÇÃO POLICIAL COM MÉTODOS INQUISITÓRIOS APROXIMADOS DO FASCISMO.

É PRECISO QUE A PRESIDENTE, O GOVERNO E A SOCIEDADE REAJAM AO AGRAVAMENTO DA INVESTIDA INSANA PARA INCRIMINAR O GOVERNO DE ESQUERDA E O EX-PRESIDENTE LULA, ANTES DE PROVADO QUALQUER CRIME QUE LHE SEJA ATRIBUÍDO, NUMA CLARA E ESTÚPIDA ESTRATÉGIA PARA TENTAR INVIABILIZAR A PROVÁVEL CANDIDATURA DELE EM 2018.

Precisa ser deflagrada a guerra sem tréguas contra os golpistas, cuja cabeça é formada por meia dúzia de fascistoides da extrema direita, que ainda manipulam muitas pessoas ingênuas ou de boa fé, no país. O Brasil que pensa precisa isolar essas serpentes para preservar a democracia e os governos de inclusão social.

Com o povo democrático reagindo, esses golpistas vão recuar de imediato. O que está faltando (e faltou sempre) é um pronunciamento enérgico da Presidente Dilma, em defesa do povo, da democracia e condenando o aprofundamento dessa investida judicial policialesca contra o ex-presidente e demais pessoas, integrantes do governo, do PT e das esquerdas.

No momento em que Dilma Rousseff falar, a maioria do povo brasileiro vai ficar ao lado dela e da democracia, porque o suicídio de Getúlio Vargas e o golpe militar de 1964, instaurando mais de duas décadas de chumbo, não podem jamais ser esquecidos pelo Brasil, vítima permanente dos ataques do capital (imperialista) internacional, que conta com o apoio interno dos maus brasileiros, dos traidores da Pátria.

DISCUTINDO O “ATO JORNALISTICO”

["Janot disse que não discute "ato jornalístico, que não é jurídico"] Como pode o MP não discutir o "ato jornalístico" de manipular a informação para satisfazer a interesses políticos de uma casta social, e na contramão dos interesses da sociedade brasileira, como fazem os órgãos de imprensa do chamado PIG, em flagrante desrespeito à Constituição Federal?

Hora de acordar o MP, Dr. Janot, e em todos os níveis e instâncias, para fazer valer as prerrogativas da população, cerceada em sua liberdade de expressão e de opinião, diante da atuação da imprensa “falada e escrita”, dominada por seis famílias de barões, representantes do supra-sumo do conservadorismo e defensora dos privilégios do 1% do status social.

O mau exemplo de jornalismo da “revista” “ IstoEra” desta semana, acerca do affair Delcídio Amaral, veio demonstrar a quantas anda a omissão e até a conivência de poderes constituídos da República diante do exercício manipulador da imprensa, que deixa de fazer jornalismo, transformando veículos outrora respeitados em reles panfletos de uma “oposição” (de quinta categoria) inconformada com a consolidação da democracia e do Estado de Direito, no Brasil.
Dilma RousseffF precisa evitar que acendam no Brasil o pavio da dinamite, por Iremar Marinho
4 / 5
Oleh