quarta-feira, 2 de março de 2016

Impeachment contra o governador Geraldo Alckmin é protocolado


Foi protocolado na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), nesta terça-feira (1), um pedido de impeachment contra o governador Geraldo Alckmin (PSDB). Ainda que não seja a primeira vez que o tucano é alvo de um pedido de afastamento – em outubro de 2014 o deputado estadual Carlos Gianazzi havia oficializado uma solicitação parecida -, funcionários administrativos da Alesp ficaram surpresos com a iniciativa do empresário Felipe Gini, que escreveu o pedido com a ajuda de um advogado.

“Me mandaram para uma área de protocolos e o pessoal, quando viu do que se tratava, se reuniu e começou a falar ‘meu deus, finalmente!'”, revelou o empresário. De acordo com Felipe, um secretário, então, o encaminhou até a mesa do plenário, que estava vazio, onde o pedido foi carimbado.

O argumento para que Alckmin sofra um processo de impeachment, pelo pedido, é que ele teria descumprido a lei federal que garante o livre direito a manifestação quando reprimiu estudantes que ocupavam escolas que seriam fechadas e por ter, supostamente, descumprido uma ordem judicial de interromper a chamada ‘reorganização’ escolar. De acordo com o Sindicato dos Professores do Estado de São Paulo, a Apeoesp, o governador vem promovendo uma ‘reorganização escolar disfarçada’ e fechando salas de aula.

“A presente demanda tem o intuito de apurar e impor sanções ao governador do Estado de São Paulo pela prática de crimes de responsabilidade no exercício do atual mandato, em virtude do desrespeito ao livre direito de manifestação, descumprimento de ordem judicial e descumprimento de lei federal, todos relacionados com a denominada “‘reorganização escolar'”, diz trecho do pedido.

Leia mais na Revista Forum.
Impeachment contra o governador Geraldo Alckmin é protocolado
4 / 5
Oleh