sábado, 5 de março de 2016

Lindbergh Farias: "Oposição deu um tiro no pé, eles acenderam a nossa militância"


“Eles acenderam a nossa militância”, afirmou o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) em relação ao depoimento coercitivo prestado hoje (4) à Polícia Federal pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O senador fez a afirmação na plenária com a Frente Brasil Popular e os movimentos sociais, realizada nesta tarde na quadra do Sindicato dos Bancários, no centro de São Paulo. O ex-presidente, que havia ido embora para São Bernardo no meio da tarde, acabou voltando para o ato.

O depoimento de hoje foi realizado em mais uma etapa da Operação Lava Jato, conduzida pelo juiz Sérgio Moro. “Eles deram um tiro no pé. Até ministros do Supremo Tribunal Federal estão dizendo que o Moro extrapolou”, disse Lindbergh. O senador destacou que o depoimento coercitivo só deve ser realizado quando a pessoa se recusa a ir, quando é chamada e não vai.

“Eles dizem que ninguém é inatingível para a Lava Jato, mas o PSDB é inatingível”, disse Lindbergh ao lembrar o escândalo da merenda no governo do estado de São Paulo, no qual o governador Geraldo Alckmin tem sido blindado pela imprensa.

Lindbergh foi a primeira pessoa a falar no ato da quadra dos bancários. Depois, foi a vez o senador Humberto Costa (PT-PE). “O que aconteceu no Brasil hoje foi uma violência imensurável, foi desrespeito frontal à Constituição e um ataque à maior liderança popular do país”, afirmou.

“Só existe uma explicação para o que aconteceu hoje: o desejo de tentar desgastar Lula politicamente”, disse Costa. “Seu crime é um só: fazer deste um país de liberdade e direito para quem nunca teve acesso a nada. Foi uma afronta à Constituição e ao Supremo Tribunal Federal.” O senador pediu que o Supremo se manifeste no sentido de dizer que o juiz Sérgio Moro extrapolou e abusou de sua autoridade.

Leia mais no Rede Brasil Atual.
Lindbergh Farias: "Oposição deu um tiro no pé, eles acenderam a nossa militância"
4 / 5
Oleh