quinta-feira, 10 de março de 2016

TSE manda TRE de Minas investigar chapa tucana de 2014


Franciny Alves - O ministro Gilmar Mendes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou nesta quarta-feira (9) que o Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) volte a julgar processo de abuso de poder econômico e político contra Pimenta da Veiga (PSDB) e Dinis Pinheiro - integrantes da chapa que disputou o governo de Minas em 2014, o deputado estadual João Leite (PSDB), a então secretária de Educação, Ana Lúcia Gazzola, e a diretora escolar Rosane Aparecida Belico Guimarães.

A ação foi movida pela coligação Minas para Todos - formada para a eleição proporcional estadual e composta por PT, PMDB, PRB e PROS. Segundo texto da ação, Rosane, da Associação Mineira de Diretores (Amide), teria feito uso de e-mails institucionais da entidade para convocar educadores para evento de campanha eleitoral de políticos e candidatos do PSDB, com o pretexto de que temas de interesse da categoria fossem tratados no evento. Conforme a coligação, a reunião teria sido realizada no Hotel Ouro Minas, em novembro de 2014, em meio a discursos de representantes do governo, pela então secretária de Educação, Ana Lúcia Gazzola e pelos próprios candidatos que disputavam as eleições.

No entendimento da coligação reclamante, a estrutura pública foi utilizada para realização de evento de campanha, “havendo os presentes sido convocados pela Amide e pela Secretaria de Educação por mala direta de cadastro do Estado de Minas Gerais, cuidando-se o evento, em verdade, de deslavada promoção eleitoral”.
TSE manda TRE de Minas investigar chapa tucana de 2014
4 / 5
Oleh