quarta-feira, 4 de maio de 2016

Senador que votará a favor do GOLPE teve um telefonema com um chefe de quadrilha interceptado pela PF


Fabiano Portilho/Jornal i9 - Em meio ao sumiço de R$ 78,8 milhões depositados pelo Governo André Puccinelli no Banco Rural, quando foi decretada sua liquidação judicial, a Polícia Federal (PF) flagrou o empreiteiro João Alberto Krampe Amorim dos Santos apontado como chefe da organização criminosa denominada "lama asfáltica", fazendo um "pedido" um tanto, quanto estranho ao Senador Waldemir Moka (PMDB).

Na ligação, feita em maio de 2014 com autorização judicial, o empreiteiro solicitava que o Senador intercedesse sobre um "probleminha" junto ao Banco Rural.

O senador Waldemir Moka (PMDB) teve como primeira-suplente de 2010 até 2014, Maria Antonieta Amorim dos Santos (irmã de João Alberto Amorim dos Santos), eleita deputada estadual no último pleito. O mesmo do `probleminha´, o Rural doou R$ 150 mil para a campanha do Senador em 2010.

Ouça o diálogo que expõe a relação entre Amorim e Moka:


Amorim: Alô Moka tudo bem?

Moka: Tudo bem.

Amorim: Moka, é o seguinte lembra daquela conversa que tive com você no sábado a respeito do `probleminha´ do Banco Rural?

Moka: Sim.

Amorim: Se você puder marcar pra mim semana que vem ou a hora que você me der a luz eu "vou prai"...

Moka: A hora que você vier aqui, nós conversamos com o Nelson e daqui ele sai com você, e tenho certeza pra ver direitinho... Se quer vim semana que vem?

Amorim: Posso marcar na terça-feira pra ir?

Moka: Pode, pode marcar na terça-feira. Vou avisar ele. Você não quer me fazer um favor? liga no meu gabinete e já adianta o "expediente"...
Senador que votará a favor do GOLPE teve um telefonema com um chefe de quadrilha interceptado pela PF
4 / 5
Oleh