terça-feira, 7 de junho de 2016

Dilma em encontro com historiadores: "Tenta-se transformar o Alvorada numa prisão dourada"

Vídeo: O Cafezinho

A presidente Dilma Rousseff criticou nesta terça-feira 7, durante encontro com historiadores no Palácio da Alvorada, as limitações impostas pelo governo interino de Michel Temer sobre suas viagens. Segundo ela, "tenta-se transformar o Alvorada numa prisão dourada". "Primeiro cria-se uma barreira, não sabemos quando ele abrem ou fecham", exemplificou, "e depois limitam meu direito democrático de ir e vir".
Temer negou a Dilma estrutura para fazer uma viagem a Campinas, interior de São Paulo. Nesta terça, José Eduardo Cardozo, responsável pela defesa da presidente, protocolou um ofício no Planalto informando que Dilma fará viagens com aviões de carreira e que a GSI será responsável pela segurança da presidente. 
A presidente mirou suas críticas sobre a criação de "toda sorte de armadilhas" ao longo do processo de impeachment. "Por exemplo a notificação para respondermos se se tratava de um golpe ou não, e também nos notificaram para questionar o que era golpe", citou Dilma, em referência ao STF.
"Esse processo não para agora, não para em 2018 porque se trata do processo de construção da nossa democracia", afirmou Dilma. Para ela, houve pontos "positivos" dentro dessa "conjuntura de negatividades". "As pessoas estão participando, as mulheres, os jovens, e acho que há um despertar para a questão do que está em risco".
Brasil 247
Dilma em encontro com historiadores: "Tenta-se transformar o Alvorada numa prisão dourada"
4 / 5
Oleh