quarta-feira, 8 de junho de 2016

Em nota, Jandira Feghali desmente Lauro Jardim



Jandira, que lutou pelo fim do financiamento por empresas e contra as manobras de Eduardo Cunha para impedir essa proibição, responde às insinuações sem qualquer fundo de verdade publicadas na coluna de Lauro Jardim.

Em 1981 conheci a porta dos estaleiros, ainda como sindicalista. Entendi a importância do setor naval para a economia do Rio de Janeiro e para a geração de empregos. Desde então, a luta pelo soerguimento do setor e em defesa dos trabalhadores é uma constante no exercício de meus mandatos.

É natural, portanto, que ao procurar recursos para as minhas campanhas, diante da regra que permitia doações das empresas, eu buscasse os parceiros desta luta. Fui apoiada em diversas campanhas por empresas que reconheceram em mim uma defensora da indústria naval. Não por esquemas, desvios em licitações ou pela busca de enriquecimento ilícito com aumento de patrimônio.

As doações são públicas e registradas, os pedidos foram transparentes. A própria matéria, diferente do que anuncia seu título, afirma que as doações foram oficiais e afirmo que a única recebida pela Queiroz Galvão, em 2014, foi por meio de meu partido e não via Sérgio Machado.

Não tenho, pois, qualquer dor de cabeça pois sempre estive dentro da legalidade e da publicidade oficial dos pedidos e apoios. Apesar disso, é sintomático que esta notícia, de forma descontextualizada, seja publicada no momento em que toma corpo minha pré-candidatura à prefeitura do Rio de Janeiro, com chances de vitória.

As insinuações contidas na nota veiculada pelo jornalista Lauro Jardim serão objeto de medidas judiciais cabíveis.

Provocações e distorções respondo com a verdade.


Jandira Feghali
Deputada Federal PCdoB-RJ"
Em nota, Jandira Feghali desmente Lauro Jardim
4 / 5
Oleh