segunda-feira, 11 de julho de 2016

Chorume e compostagem disputam Câmara em nome do passado presente, por Bob Fernandes



Dezesseis pré-candidatos à presidência da Câmara, nove já confirmados, e eleição marcada para quarta-feira,13.

Dos 6 mais cotados, quem ainda não é réu, não foi condenado ou não é investigado, está citado na Lava Jato.

São filhotes do Sistema. Sistema que se fortaleceu enquanto, em nome do combate à corrupção petista, o moralismo caolho se aliou ao notório Eduardo Cunha.

Ainda eleitor influente, Cunha visitou Temer antes de renunciar à presidência da Câmara..

Crochê de políticos siameses, que dependem um do outro, agora para tentar salvar o mandado de Cunha.

Dois blocos na disputa pela presidência da Câmara.

De um lado o "Centrão", balaio que reúne boa parte do que há de pior. O chorume da Câmara e do Cunhistão.

De outro lado, ressalvadas exceções já conhecidas pela atuação cotidiana, farto material para compostagem.

Em manchetes, o espanto crítico: além de costuras à esquerda, Lula e PT buscam aliança com o PSDB, e com o DEM que tem Rodrigo Maia (RJ) como candidato.

Sem manchetes, e sem espanto, DEM e PSDB buscam a mesma aliança... com PT e Lula.

E, enfim, noticiário sobre Serra e a delação da OAS e Odebrecht. Também citado Paulo Viera de Souza, ex-diretor da DERSA no governo Serra.

Envolvido em escândalo, na campanha de 2010 Paulo Vieira mandou recado em célebre frase:

-Não se abandona companheiro ferido à beira da estrada...

Em 2012, a CPI do Cachoeira, Delta, Cavendish... Desse pessoal agora preso e solto dia sim, dia não. À época, Paulo Vieira cunhou outra frase-recado para a História:

-Por que a CPI proibiu a abertura das contas do eixo Rio-São Paulo? Porque se abrir (as contas de São Paulo e Rio), o Brasil cai.

Paulo tinha razão. Ele sabe das coisas. Será que, finalmente, vão ouvir o "companheiro ferido"?

Enquanto se investiga o presente, que de resto já é conhecidíssimo desde o passado, a Câmara vai eleger o futuro presidente.

Que terá tudo a ver com o Sistema do presente. E do passado.


Bob Fernandes
Chorume e compostagem disputam Câmara em nome do passado presente, por Bob Fernandes
4 / 5
Oleh