sexta-feira, 1 de julho de 2016

Delator afirma que Eduardo Cunha mandava reprovar projetos de interesse do PT


Em depoimentos de delação premiada, o ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto disse que o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), decidia quais empresas deveriam receber aportes do Fundo de Investimento do FGTS. Ao tomar conhecimento dos valores pleiteados pelas companhias, explicou o colaborador, o deputado indicava quais lhe interessavam e pedia que Cleto trabalhasse para aprová-los.

Conforme fonte com acesso às investigações relatou ao Estado, explicou que o deputado mandava reprovar os investimentos que fossem de interesse do PT. Nesses casos, a ordem seria para “melar” os aportes.

Nos depoimentos, o ex-vice da Caixa afirmou que a cobrança da propina às empresas ficava a cargo de Cunha e do agente do mercado financeiro Lúcio Funaro, preso nesta sexta-feira pela Polícia Federal. Ele informou que não tinha contato com as companhias e que sua função, na condição de “agente do mercado”, era eminentemente técnica.

Leia mais Estadão
Delator afirma que Eduardo Cunha mandava reprovar projetos de interesse do PT
4 / 5
Oleh